A trilogia saudável do corpo, do alimento e do solo

Atualizado: Jul 5


Redação: Gilmar Dall´Stella

Edição: Ana Cristina Stabelito Dall´Stella

MTB 25.971


A relação entre o corpo, os alimentos e o solo vem sendo cada vez mais evidenciada pela ciência. Talvez jamais fossem usados adubos químicos na agricultura caso o que se explica hoje tivesse sido descoberto há cinquenta anos. Pode ser que ainda tenhamos que comer alimentos cultivados com agrotóxicos, antibióticos e aditivos químicos ou ultraprocessados por mais uma década. No entanto, a comunicação das mais recentes descobertas viabiliza o estabelecimento de um prazo para que esses alimentos deixem de ser ingeridos.


Um dos principais indicadores dessa tendência é que os alimentos orgânicos estão deixando a “prateleira” dos produtos elitizados para passar a ser consumidos por pessoas de todas as classes sociais, que conhecem a multiplicidade de seus benefícios para a saúde. A boa notícia é que quanto maior for o consumo, menor será o valor final do produto, pois haverá inevitavelmente uma redução no custo da produção.

Produto orgânico certificado


Por isso, nós, da CampoCozinha, estamos tendo a alegria de poder entregar esses alimentos aos mais diversos locais de São Paulo – bairros centrais, periféricos e em cidades da Grande São Paulo. No entanto, a maior satisfação é perceber que o consumo de alimentos orgânicos está aumentando mais em função da consciência do que do poder aquisitivo. Afinal, mesmo nos casos em que ele é baixo, há algumas políticas do governo que permitem a alunos de escolas receberem esses alimentos em suas merendas e movimentos sociais que os fazem chegar a um custo bastante reduzido na periferia. Isso é fantástico! Ainda mais porque, num ciclo pouco visível, isso gera prosperidade ao homem do campo, ao agricultor familiar, fixando-o à terra e dignificando sua vida.


Voltando à questão dos benefícios para a saúde, estudos científicos recentes revelam que nosso intestino é o lar de mais de dez trilhões de bactérias que trabalham para decompor os alimentos, evitar bactérias ruins, reabsorver os nutrientes e vitaminas, fortalecendo nosso sistema imunológico contra inimigos “aparentemente” invisíveis e, até há bem pouco tempo, desconhecidos e inofensivos. Porém quando uma pessoa ingere alimentos com agrotóxicos, antibióticos e outros químicos, além de desregular o organismo, desequilibram o ambiente saudável dessas bactérias e começam a nos deixar vulneráveis a diversos tipos de toxinas, vírus maléficos e doenças.


Neste sentido, os sistemas mais agroecológicos/florestais recuperam o ambiente externo e principalmente nosso ambiente interno. Afinal, seu terreno biológico é seu sistema imunológico e fortalecê-lo é a maneira mais eficaz de combater qualquer ameaça externa. É a restauração do equilíbrio do microbiano através de uma alimentação orgânica saudável.