Propriedades parceiras

Os fornecedores da Campo Cozinha são produtores rurais orgânicos da Região Metropolitana de Curitiba. 

 

SÍTIO TERRA VIVA, CAMPO LARGO - PR

O Sítio Terra Viva vem produzindo agricultura orgânica há mais de 20 anos. Desde o final de 2015, os agricultores do sítio vêm recebendo o nosso apoio no processo de transição para a Agricultura Natural. Com esse objetivo, foi plantado feijão no manejo da Agricultura Natural, o qual já foi colhido pela primeira vez no mês de Março de 2016. Hoje, há toda uma área da propriedade destinada exclusivamente ao cultivo de alimentos através do manejo da Agricultura Natural.

É do Sítio Terra Viva que vêm os alimentos dos planos 1, 2, 3 e 4. Você pode adquirir o seu e apoiar esse projeto!

  

 

CHÁCARA DO ELIAS, CAMPO MAGRO - PR

Elias Bestel é produtor rural de Campo Magro, PR. Viúvo e pai de seis filhos, há mais de 16 anos produz alimentos orgânicos – hortaliças e frutas, como banana, ameixa, laranja, limão, mexerica, ponkan e pêssego. Seu primogênito, Patrick, 19 anos, é quem o ajuda no plantio, colheita e entrega dos alimentos produzidos em dois dos três alqueires de sua chácara, que fica numa área preservada, com nascentes bem protegidas.

Como uma das grandes dificuldades do Elias  – certificado pela rede Ecovida (certificação orgânica participativa) –  é a logística, a Campo Cozinha o apoia na distribuição de suas frutas orgânicas in natura através dos nossos planos mensais e também na fabricação de geleias artesanais. 

  

 

CHÁCARA DA DNA ARMINDA, CAMPO MAGRO - PR

Há cerca de doze anos, desde quando presenciou o sofrimento de uma amiga intoxicada por agrotóxicos, Arminda Balduíno dos Santos, resolveu transformar sua propriedade de mais de dois alqueires numa colina de Campo Magro, PR, em orgânica. Lá cultiva, ao lado do marido e da filha caçula, diversos tipos de temperos, verduras, legumes e frutas. Mas especializou-se na produção de um delicioso pão orgânico – integral, branco, de aipim e couve.

Para confeccioná-lo, acorda às 3h30 e segue na garupa da moto do marido para uma cozinha comunitária certificada orgânica, a 16 quilômetros de onde mora. Sai carregada de material, esperança, rótulos e embalagens (a receita há muito está na cabeça), sempre um bom humor inacreditável para quem tem que enfrentar um caminho cheio de curvas, subidas, barrancos, buracos, num chão de terra e pedregulhos. Sem falar que quando chove, eles têm que pegar um Fusca, cuja roda geralmente atola. Mas nem assim, o sorriso sai dos seus rostos, o que explica a textura, maciez e sabor do seu pão.

Seu sonho agora é montar uma cozinha certificada dentro da propriedade onde mora para poder empregar também uma outra filha casada que está desempregada. O nosso é viabilizá-lo.