Projeto Social

Há cerca de doze anos, desde quando presenciou o sofrimento de uma amiga intoxicada por agrotóxicos, Arminda Balduíno dos Santos, resolveu transformar sua propriedade de mais de dois alqueires numa colina de Campo Magro, PR, em orgânica. Lá cultiva, ao lado do marido e da filha caçula, diversos tipos de temperos, verduras, legumes e frutas. Mas especializou-se na produção de um delicioso pão orgânico – integral, branco, de aipim e couve.

Para confeccioná-lo, acorda às 3h30 e segue na garupa da moto do marido para uma cozinha comunitária certificada orgânica, a 16 quilômetros de onde mora. Sai carregada de material, esperança, rótulos e embalagens (a receita há muito está na cabeça), sempre um bom humor inacreditável para quem tem que enfrentar um caminho cheio decurvas, subidas, barrancos, buracos, num chão de terra e pedregulhos. Sem falar que quando chove, eles têm que pegar um Fusca, cuja roda geralmente atola. Mas nem assim, o sorriso sai dos seus rostos, o que explica a textura, maciez e sabor do seu pão. Seu sonho agora é montar uma cozinha certificada dentro da propriedade onde mora para poder empregar também uma outra filha casada que está desempregada. O nosso é viabilizá-lo.

                 

Ao analisar o cenário agrícola do país, percebe-se que o Brasil enfrenta uma série de desafios nas atividades agropecuárias, entre eles a estruturação da Agricultura Familiar que, segundo o último Censo Agropecuário de 2006, representa 84,4% das propriedades rurais, 38% da receita do setor e 74% dos empregos agropecuários.

Um dos maiores desafios da Agricultura Familiar é a sua viabilização econômica, uma vez que 68,9% dessas famílias rurais possuem uma receita média anual de R$ 13,6 mil, e renda líquida anual de R$ 3 mil. De acordo com o IBGE 2009, das 30,7 milhões de pessoas que formam a população rural, 16,5 milhões foram classificadas como pobres com renda per capita de até meio (1/2) salário mínimo, sendo que oito milhões foram consideradas extremamente pobres.

Entendemos que a Agricultura Orgânica agrega valor e diferencia o trabalho da Agricultura Familiar. Muitos agricultores orgânicos atualmente possuem dificuldades em atuar em todas as etapas da cadeia produtiva e de distribuição seja na divulgação de seu produto, seja na inclusão dele nos canais de distribução, nos sistemas de pagamentos, transporte e até mesmo no processamento mínimo.